domingo, 10 de agosto de 2014

Análise PS3 - Beyond: Duas Almas

http://psgamespower.blogspot.com/2014/08/analise-ps3-beyond-duas-almas.html
Uma viagem única entre dois mundos.

Beyond conta com um casting fabuloso com performances excepcionais, voltamos mais uma vez a ter uma aventura com Ellen Page, mas também contamos com o famoso Willem Dafoe, numa história que liga o mundo dos vivos ao dos mortos.

A história acompanha a vida de Jodie, uma menina ligada a uma entidade invisível, melhor dizendo ligada a uma alma cujo o nome é Aiden, o jogo vai saltando para várias zonas da vida de Jodie, hora num momento vivemos um episódio da sua infância, hora na outra estamos já na fase adulta, como numa reviravolta viaja-mos para a sua adolescência, o impressionante é que fica tudo interligado na perfeição, em nenhum ponto da história perdemos a noção do que se está a passar.
Toda a história roda em torno do inframundo, que é o local onde vão parar as almas dos que partem do mundo dos vivos, este mundo é habitado pelas almas dos que morreram, mas também tem outros residentes, entidades malignas, que à mínima chance tentam causar o caos e a extinção dos seres vivos, é nesta parte que entra o papel principal de Jodie e de Aiden, estando Jodie ligada a Aiden, ela torna-se o único ser humano que conhece a maneira como o inframundo funciona e é essa a causa da sua estadia no DPA (local onde são estudados fenómenos paranormais e onde vive a Jodie) onde o professor Nathan Dawkins estuda Jodie para tentar compreender o inframundo.

Ao longo da história passamos por várias experiências, desde enfrentar as entidades malignas até escapulirmo-nos do DPA (local onde são estudados fenómenos paranormais e onde vive a Jodie) para irmos a uma festa, passa tudo pela vida de Jodie, também acaba-mos por ter de interagir com várias personagens ao longo do jogo e são nos dadas várias opções de dialogo, que acabam por causar diferentes acontecimentos, a jogabilidade varia entre a Jodie e Aiden, como Jodie podemos reconhecer a jogabilidade vinda de jogos como The Last of Us mas em que foram adicionadas novidades, em que para interagir com certos pontos no ambiente que nos rodeia como uma porta, temos de utilizar o joystick direito, ou para fazer-mos Jodie reagir em momentos criticos, podemos interagir com diferentes objetos no cenário e fazer diferentes ações, como ligar uma televisão ou sentarmo-nos num sofá, já como Aiden podemos causar diferentes acontecimentos, sendo que podemos interagir com um simples monitor e causar uma perturbação na imagem, como também podemos interagir com um automóvel e fazê-lo voar pelo meio da rua, existem várias possibilidades, que nos são apresentadas para resolver situações, como tomar controlo do corpo de outra pessoa para eliminar inimigos ou interagir com outros personagens, ou podemos mesmo sufocar inimigos para abrir uma passagem no caminho de Jodie, também utilizamos Aiden para curar os ferimentos que Jodie possa sofrer e podemos mesmo utilizar Aiden para ver o que causou a morte de uma personagem quando Jodie toca nos seus corpos.

A história leva várias reviravoltas, todas muito bem elaboradas, acompanhamos a vida de Jodie e o seu desenrolar, com acontecimentos, podemos ver a sua infância e como se passou o início da sua estadia no DPA, a sua adolescência de como ela se transforma de uma rapariga punk para uma rapariga tímida e a sua transformação final numa mulher decidida e capaz de enfrentar tudo e todos, sendo que ao acompanhar-mos esta evolução também acompanha-mos a de Aiden, que cresce com Jodie.

Existem várias personagens nesta história sendo que as mais marcantes são Ryan que é alguém que entra na vida de Jodie de uma maneira um pouco atribulada mas que se torna alguém especial, Nathan Dawkins que se torna praticamente num pai para Jodie e Cole que é como um irmão mais velho que cuida e toma conta de Jodie, todos eles afetam a vida de Jodie de uma maneira importante, que nos mostra como funcionam um pouco as reações das pessoas quando passam por certos acontecimentos.

A jogabilidade de Beyond está fantástica, os cenários, efeitos, animações e personagens estão todos produzidos de uma maneira que me atrevo a dizer que estão sem defeitos, ou seja perfeitos, os sons são espetaculares embora haja alturas em as vozes dos atores Portugueses mal se conseguem ouvir, essa parte poderia ter sido mais bem trabalhada, de resto adorei a experiência de Beyond: Duas Almas, uma aventura fantástica pela vida de Jodie que conta com um final estrondoso.

Este é sem dúvida um título indespensável para quem gosta de uma fantástica narrativa, jogabilidade e aventura misturadas com o poder que a PlayStation 3 tem para ofereçer.

0 comentários:

Enviar um comentário

Recebe a Nossa Newsletter

FantasPT. Com tecnologia do Blogger.
UA-43693560-1