domingo, 10 de agosto de 2014

Análise PS3 - The Last of Us

http://psgamespower.blogspot.com/2014/08/analise-ps3-last-of-us.html
Este foi um título altamente antecipado para a PS3, não só pelo que se pôde ver na demo ou pelos trailers e pelo que se ia lendo nas informações que eram lançadas, mas também pelo que prometia fazer, que nos ia dar suspense, emoção, pressão que ia fazer o nosso coração bater mais rápido e que nos ia fazer ficar num estado de pânico e o alivio que iríamos sentir ao nos livrar-mos das situações que nos iriam pôr nesse estado.

Bem posso afirmar com toda a certeza que após ter jogado The Last of Us, que a Naughty Dog entregou aos jogadores tudo o que prometeu e muito mais.

The Last of Us conta a história de Joel e Ellie, de como a infeção de um fungos que devastou a humanidade mudou a vida de Joel, colocando-a numa espécie de escuridão ao tirar-lhe tudo o que lhe era importante e de como Ellie lhe voltou a trazer de certa forma alguma luz, a missão de Joel é simples, transportar Ellie para uma instalação dos Fireflies, onde ela irá ser analisada, para se puder descobrir uma possível cura para a infeção, pois Ellie é imune ao fungo.
Pelo seu caminho eles encontram vários perigos e cabe-nos a nós os jogadores encontrar soluções para ultrapassar todos eles, o perigo mais comum são Hunters, grupos de humanos que matam todos os que encontrão no seu caminho, ou que entram nos seus territórios, para depois lhes roubar tudo o que eles têm, ou como pode ser visto mais à frente no jogo, fazerem algo mais macabro com as suas vítimas.
Mas eles não são o único perigo que aguardam Joel e Ellie, também temos os infected, que são os humanos que foram infetados pelo fungo, iremos encontrar regularmente três fases dos infetados, os Runners, que são os que foram infetados há pouco tempo, correm que se fartam atrás das suas vitimas, depois temos Stalkers num estado de transformação em que o fungo já lhes cobriu parte da cabeça, e por fim temos os Clickers, que são uma fase mais avançada em que o fungo cobriu-lhes a cabeça e eles estão cegos e em que a sua audição está mais apurada e eles a utilizam como meio de detetar as suas vitimas, mas aparte deste existe ainda um estado mais avançado, mas que felizmente não é regular encontrar, os Bloaters, estes são humanos que já estão infetados à alguns anos, o fungo cobriu-lhes praticamente o corpo todo, dando-lhes uma espécie de armadura, eles são grandes e fortes, quando estão um pouco próximos das suas vitimas eles fazem corridas atrás delas, numa tentativa de as apanhar, mas que se formos rápidos o suficiente para lhes escaparmos, eles tornam-se praticamente inofensivos, basta ter-mos atenção ao seu outro ataque em que eles atiram bolas de esporas do fungo, que se espalham no ar criando uma espécie de nuvem de fumo e que causam danos.

A maneira como as personagens que encontramos pelo jogo interagem e se relacionam com Joel e Ellie, é algo fascinante, a maneira como demonstra o que o ser humano faz em alturas de desespero ou como se torna macabro é algo que nos faz interrogar sobre nós próprios e o que se calhar faríamos, se nos acontecesse o mesmo, existem alturas durante o jogo em que acontecem momentos de pânico pois não é raro haver momentos em que somos atacados por grupos de infetados, ou haver momentos em que ficamos triste e devido a momentos que acontecem que são mais tocantes, também é impressionante ver como de maneira quase inconsciente Joel e Ellie se ligam um ao outro e criam um sentimento de carinho e preocupação de um para com o outro ao nível de pai e filha, ou seja basicamente a Naughty Dog consegue fazer neste jogo, os jogadores viver a história das personagens e sentir as emoções que elas sentem ao longo da mesma.
 
Também temos muitas vezes de arranjar maneira de ultrapassarmos obstáculos nos cenários, como por exemplo mover um contentor do lixo para o usarmos como degrau para podermos subir para uma escada de incêndio por exemplo, ou como utiliza-mos um escadote como ponte para atravessar-mos de edifício para edifício ou como utilizamos uma palete de maneira para fazermos Ellie atravessar um lago ou rio para ela depois subir para uma plataforma e atirar um escadote para nós subirmos de seguida, são tudo coisas que fazem do jogo um desafio ainda maior.

A seleção de banda sonora também está excelente e foi posta em momentos exatos que tornam o jogo numa experiencia ainda mais fabulosa, sem contar com os cenários e ambientes simplesmente excelentes que temos para explorar à procura de mantimentos, comida ou de outros objetos que colecionámos, como recados que alguém deixou para um familiar na altura em que infeção começou por exemplo, os cenários fazem deste jogo uma experiência ainda mais envolvente, a maneira como eles podem afetar as nossas estratégias, como por exemplo quando temos um Clicker próximo de nós, basta pisar sobre um pedaço de estilhaços, ou ir de encontro a algo que faço algum barulho para eles nos detetar, ou simplesmente a maneira como eles tornam o jogo numa obra prima na minha opinião, também adorei como os cenários subaquáticos dos lagos que se formaram nas zonas de cidade, ou dos rios do campo foram construídos, explorá-los com Joel é algo fascinante.
Bem acho que o resto das surpresas que este jogo tem, vou deixá-las para vocês descobrirem.

The Last of Us está em primeiro lugar na lista dos meus jogos favoritos da PS3, é realmente uma experiência única, que vou ter um grande prazer de voltar a jogar não só para ganhar os seus troféus mas também pelo simples prazer de reviver a experiência fantástica que este jogo providencia.

0 comentários:

Enviar um comentário

Recebe a Nossa Newsletter

FantasPT. Com tecnologia do Blogger.
UA-43693560-1