domingo, 10 de agosto de 2014

Analise PS3 - LEGO O Hobbit

http://psgamespower.blogspot.com/2014/08/analise-ps3-lego-o-hobbit.html
Uma viajem fantástica à Terra-Média de O Hobbit.

De início podia-se pensar que este jogo seria capaz de sofrer talvez em termos de qualidade devido à TT Games (Produtora responsável pelos jogos Lego, como Lego Star Wars, Lego Batman, Lego Marvel, etc...) ter lançado três jogos em pouco mais de 6 meses, mas eles conseguiram entregar uma qualidade excelente neste Lego The Hobbit, não sei qual foi o nível de qualidade, nem as características apresentadas em Lego Marvel, mas vi em The LEGO Movie Video Game algo que apesar de ser simples, conseguia ser bastante interessante, sem falar das novidades como cenários completamente feitos com blocos de Lego virtual e a apresentação do novo mini-jogo de construção, que dava para fazer objetos como um totem, para conseguir-mos chegar ao topo de um edifício por exemplo. Como disse no início apesar de poder-mos pensar que este último relacionado com o universo dos dois filmes de Hobbit pudesse sofrer por causa da TT Games ter estado a produzir tanto ao mesmo tempo, aconteceu exatamente o contrário, este jogo saiu com um nível de qualidade espetacular, um jogo interessante e divertido como de costume, recheado também de conteúdo.
A história de Lego The Hobbit acompanha a narrativa dos dois filmes que foram lançados, O Hobbit “Uma Viajem Inesperada” e “A Desolação de Smaug” e como sempre os níveis do jogo são como que partes da história que não aparecem nos filmes, quase como que cenas cortadas que nos deixam ver partes que não chegámos a ver no grande ecrã. Ao longo da nossa viajem pela história principal iremos controlar Thorin e a sua companhia de Anões, sem contar com o Bilbo e o Gandalf, também temos a oportunidade de ir jogando com personagens que aparecem na narrativa dos níveis, como um goblin confuso que acompanha Bilbo pensando que ele é um da sua raça, ou Legolas que aparece mesmo a tempo de “ ajudar” a salvar os anões das aranhas de Mirkwood. Existem vários momentos interessantes no jogo como fazer o percurso em Goblintown em que temos de abrir caminho através de centenas de goblins e no final batalhar o próprio Rei dos Goblins, ou até mesmo a batalha logo no início do jogo em que estamos num campo de batalha repleto de orcs e anões que travam a sua guerra às portas de Moria.
Para complementar estes combates, bem como as batalhas contra bosses, irão existir sequências em que temos de pressionar os botões que apareçem no ecrã, e mais concretamente contra bosses teremos de usar o novo sistema de Buddy-Up, em que unimos forças com outros personagens para fazer um ataque esmagador, também gostei de ter a meio dos níveis um ponto de save que nos permite guardar o progresso e continuar a jogar, ou então sair do jogo e depois mais tarde ao fazer-mos o load continuarmos nesse exato momento de maneira a não termos que repetir o nível desde o início.
À parte da história principal iremos ter missões secundárias espalhadas pela Terra-Média, estas ao serem feitas dão-nos recompensas, também temos o sistema de loot, para recolhermos materiais que apareçem quando destruímos objectos do cenário, também podemos minar para os obter e até mesmo trocar com vendedores, que em troca de certos materiais, dão-nos uma quantidade de outros, o objetivo de os recolher é para depois usá-los para criar objetos tais como os que nascem do mini-jogo de construção. Gostei bastante da mudança entre dia e noite, em que podemos descansar num acampamento para alterar a altura do dia.
Depois temos os habituais items para colecionar como os mini-kits e outros temáticos ao jogo, como Blocos de Mithril que são os equivalentes aos Gold Bricks, mais de 90 personagens da Terra-Média nos quais estão incluídos Sauron, Saruman , Beorn e não só, para depois usar-mos no free-play dos níveis e que têm as habituais habilidades especiais necessárias para alcançar certas áreas, ou destruir certos objetos de materiais específicos. Algo que me aconteceu durante a minha aventura foi que teve algumas alturas em que o jogo encravava e eu tinha mesmo de desligar a consola, isto foi um problema que afetou um pouco a minha experiência inícial mas que penso que tenha sido resolvido com o lançamento do primeiro patch do jogo no passado dia 12, pelo menos depois de fazer a atualização não voltei a ter esse problema.
Algo que não posso deixar de sentir é que isto foi uma dose demasiado grande de jogos Lego em tão pouco tempo, apesar do nível de qualidade, isto é algo que é bem capaz de cansar até mesmo os fãs mais ferrenhos desta franquia e deste género de jogo, acho que iria beneficiar muito mais se tivesse sido lançado na estreia do terceiro e último filme da trilogia O Hobbit. Seria o complemento perfeito para os fãs de O Hobbit e Lego, saia na altura certa e a TT Games teria dado tempo suficiente  aos jogadores e fãs para descansarem e para a sua ansiedade por este jogo crescer ainda mais, sem contar que iria trazer a aventura do terceiro filme já implementada no jogo. Quanto à terceira aventura será em principio distribuída como DLC para este jogo, isto é algo que se poderia evitar e de certeza que muitos jogadores que tenham adquirido agora o jogo, se irão sentir um pouco transtornados por terem de pagar para ter a terceira aventura.

0 comentários:

Enviar um comentário

Recebe a Nossa Newsletter

FantasPT. Com tecnologia do Blogger.
UA-43693560-1