terça-feira, 1 de março de 2016

Análise 3DS/2DS - Pokémon: Super Mystery Dungeon

http://psgamespower.blogspot.com/2016/03/analise-3ds2ds-pokemon-super-mystery.html
Mais um jogo Pokémon da franquia Mystery Dungeon acabou de sair, e como sempre o seu foco é somos um humano que foi transformado em Pokémon e vivemos num mundo Pokémon, onde os mesmos trabalham, têm cidades, vilas, continentes, moeda corrente, etc..., mas o que destinge este dos seus anteriores.

Basicamente as novidades vêm no sistema de combate e jogabilidade, não são muitas mas pelo menos 2 delas vão dar-vos muito jeito, a possibilidade de guardarem equipas de 3 Pokémons, em que vão ter um número de slots inicial que depois ao longo do jogo com a vossa progressão aumenta, dando-vos assim a possibilidade de definiram um números de equipas de uso regular para rápida seleção, e a outra ataques em aliança, em que podem fazer lock-on num alvo e os Pokémons da vossa equipa lançam os ataques definidos no momento, dando-vos muitas vezes a possibilidade de dar aquele golpe final demolidor nos bosses. 
Quanto ao resto trata-se de de Looplets, são um item que têm slots limitados nos quais encaixam Emeras, pedras preciosas que só existem nas dungeons e que fora delas se quebram, que dão certos boosts de ataque, defesa, podem causar efeitos, etc..., e é nas Emeras que entram as Mega-Evoluções e estado Awakening, através das Awakening Emeras, que transformam para a Mega-Forma os Pokémons que a possuem, e os que não têm essa fase no seu estado de evolução, ou não a possuem, ficam no estado Awakened em que não sofrem danos de ataques frontais, estas Emeras têm um tempo limitado de utilização ao contrário das restantes. E por fim temos os bónus de equipa, em que por vezes 3 Pokémons vão estar extra motivados para ir para exploração e vão garantir bónus de experiência ganha e maior poder de ataque.
Tirando estas novidades o grande foco do jogo vai ser a sua história, que vai iniciar como as anteriores, no início é nos dado um quiz no qual as nossas perguntas vão determinar, de entre do leque de 20 Pokémons possíveis, quem seremos e quem será o nosso companheiro, no meu caso foi o Charmander (fiquei contente pois adoro o Charmander), e quem diria, o Squirtle como companheiro. Depois aparecemos do nada no mundo Pokémon só com a memória de que fomos humanos mas só desse pormenor, todas as outras da nossa vida  e etc... desapareceram, nesse momento somos atacados sem motivo por 3, e na confusão da fuga chocamos com um Nuzleaf, que nos leva por uma Dungeon, que vai servir de tutorial ao jogo, sendo que no final acabamos na Serene Village, onde o Nuzleaf mora e decide dar-nos abrigo. Lá temos de frequentar a escola Pokémon onde conhecemos o nosso companheiro, e por aventuras e desventuras, acabamos a ir em explorações de dungeons com ele, por partir em busca do sonho de nos juntarmos à Expedition Society. Pelo desenrolar da história acabamos envolvidos no mistério de o que está a transformar Pokémons em pedra, nomeadamente lendários. Temos vários momentos de drama, e animação, humor, e digamos que realmente o ponto forte do jogo é isto que é o que nos vai entreter bastante.
Quanto às mecânicas de jogo mantém-se o habitual sistema de combate/movimentação com as melhorias já mencionadas, nada de mais e básico, ou seja podemos andar na diagonal ao pressionar o R, o L mostra os nossos 4 ataques disponíveis, etc..., quanto às dungeons temos uma novidade que acaba por se extinguir depressa, que é em cada dungeon que entramos todos os níveis/andares da mesma são diferentes na sua disposição, mas este facto não altera as texturas encontradas embora ajude a dar alguma vida, pois nunca é repetido o mesmo mapeamento de nível/andar na mesma dungeon, continuamos a encontrar está claro Pokémons hostis, eventualmente encontramos bosses que são mais desafiadores, as quests também adicionam uma boa dose de horas adicionais ao jogo.
Não deixa de ser um jogo de exploração de dungeons inserido no universo Pokémon, este último facto aumenta sempre a fasquia, se é um jogo que vive à expectativa da franquia Pokémon, diremos que não, se vive à altura de um jogo de dungeons, sim, se cumpre o seu dever de experiência no que deve ser, consegue cumprir mas será um jogo que depois de passado, o valor de repetição baixa para quase nada pois o facto de ser um jogo de exploração de dungeons torna-se repetitivo, sendo que a sua variação aqui se centra em termos 720 pokémons para formar equipas de 3, isso sim ajuda a diversificar, mas até isso chega a uma altura que esgota o seu dever, duvido que haja alguém que tenha interesse em usar todos os Pokémons disponíveis, não me vejo a andar com uma Bellsprout nas dungeons do jogo. É uma boa adição à vossa coleção de jogos Pokémon para a 3DS/2DS, em especial para o fãs de Pokémon claro e para quem gosta de jogos de dungeons, mas não será um jogo para todos.

0 comentários:

Enviar um comentário

Recebe a Nossa Newsletter

FantasPT. Com tecnologia do Blogger.
UA-43693560-1