sábado, 26 de março de 2016

Análise Xbox 360 - Gears of War 2

http://psgamespower.blogspot.com/2016/03/analise-xbox-360-gears-of-war-2.html
 Após a experiência fantástica com Gears of War (que podem ler aqui), trago-vos a análise de Gears 2, a continuação direta da história do 1.

Em Gears 2, o jogo regressa com o mesmo sistema de combate mas com algumas novidades, uma dela dizem ser que a jogar com a AI, não só podemos nós como sempre reanimar os nossos companheiros da equipa Delta (Dom, Baird e Cole), quando eles levam com demasiados danos, mas também nós agora chegamos a esse ponto, antes de morrer, em que eles podem nos vir reanimar, eu pessoalmente não vi esta função em ação, talvez devido a ter passado o jogo em Hard. Temos também mais algumas armas agora, não por muito mas o suficiente para dar um toque de frescura ao armamento tal como o lança-chamas. A grande novidade, vem que temos a possibilidade de fazer execuções nos nossos inimigos, temos 3 variantes, uma rápida de espezinhar, outra de esmurrar e a terceira, que só funciona com certas armas, que é execução com uma arma, caso a arma que estejamos a usar não tenha uma, a mesma passa para o esmurramento.
Também os inimigos expandiram-se, sendo os mesmos mas com variantes mais resistentes, neste jogo não vamos fugir de um Brumak (a besta gigante da qual temos de escapar no 1 quando vamos à propriedade da família Fenix), mas sim enfrentá-los, os Boomers que são a variante "giant" dos Locust, não têm só acesso a um lança rockets, mas vêm agora também com metralhadoras pesadas, katanas e um escudo e granada, temos também uma espécie de Locust explosiva que é chamada por um tipo de Locust do género sacerdote, temos a introdução dos Lambent, que são uma forma diferente de Locust, que não é considerada digna pela Rainha dos Locust e que estão em guerra com os Locust também, esta forma de Locust é explosiva. Falando em Brumaks, vamos ter um stage digamos mais extenso de condução de veiculo, dando uma experiência mais alargada, dessa vertente que no 1 se limitava a um setor de rápido de capítulo.
Não querendo revelar muito para quem nunca jogou, a história desta vez foca-se mais na guerra que decorre, no exército COG, e não tanto na história dos 4 membros da Delta Squad como uma força de 4 homens contra os Locust, desta vez vemos o trabalho de equipa, o ter objetivos para ajudar por exemplo transportes a desembarcar nas profundezas do lar dos Locust para os assaltos que fazemos, a haver entreajuda, o que se muito bom, mas não deixando os nossos protagonistas de fora, e contando sempre as suas experiências pessoais nesta guerra, dando uma ênfase maior ao Dom, que procura a sua mulher, Maria. O que sentimos foi que o Baird e o Cole ficaram muito de fora, passando muito tempo a ficar de guarda num local, ou a voltarem para trás por exemplo para escoltarem refugiados.
Quantos aos settings, vamos ver muito das cavernas e do lar dos Locust, em especial o castelo onde reside a Rainha deles, que é bastante interessante de se explorar, vamos passar por lagos gelados o volante de um veiculo dos COG, vamos passar por cidades devastadas, por dentro de uma minhoca de pedra gigante comandada pelos Locust para afundar cidades, vamos passar por uma instalação militar antiga que esconde alguns segredos, etc..., todos eles muito bem estruturados e fenomenais, com um design fascinante, e grafismo brilhante, que ajuda a dar outra dimensão ao jogo, e a tudo isto a complementar, vem a banda sonora que nos acompanha muito bem, dando e reforçando a atmosfera do jogo.
Ou seja uma experiência que continua a ser única, que dá uma sequela direta excelente ao Gears 1, e que os fãs deste tipo de jogo, ou que possuam uma Xbox e gostem de ação bem acompanhada de uma plot bem estruturada devem adquirir, (não se esqueçam que têm a Ultimate Collection na Xbox One, que traz os Gears of War da Xbox 360 bem como extras).

0 comentários:

Enviar um comentário

Recebe a Nossa Newsletter

FantasPT. Com tecnologia do Blogger.
UA-43693560-1