terça-feira, 30 de agosto de 2016

Análise Nintendo 2DS/3DS - Monster Hunter: Generations

http://psgamespower.blogspot.com/2016/08/analise-nintendo-2ds3ds-monster-hunter.html
Esta análise já foi em parte no artigo de Opinião sobre o jogo, pelo que agora venho apenas complementar. Basicamente faltou-me abordar de uma maneira mais completa as Hunter Arts e Styles, mas também um pouco do Prowler mode.
Mas antes de falar de tais coisas aproveito para abordar o que acho da mecânica de gameplay neste MH, que basicamente acho que se mantém fiel ao que me lembro de jogar na PSP, sendo que é ainda mais comodo de fazer devido ao segundo ecrã, que no modo mais completo, nos permite ter o directional pad virtual, de maneira a controlar a cãmera, e isto faz a diferença em momento decisivos, quanto ao combate, grafismo, som, posso dizer que está tudo ao mesmo nível do que me lembro, o que é excelente. Quanto ao Prowler mode, tal como disse podemos jogar como um Palico, mas há mais, para além de habilidade que podemos aprender, temos também smithy's para forjar seja armadura, seja armas para os nossos Palico's.
Quanto aos Hunter Styles e Hunter Arts, as Arts estão ligadas aos Styles, sendo que as Arts são movimentos/habilidades que podemos ativar durante as caçadas, após termos infligido um certo número de danos a monstros, sendo que depois podemos ativar a que tivermos selecionada ao carregar num botão do touchscreen, e o número de Arts que podemos ter equipadas depende do nosso Style, temos também Arts que estão dependentes do nosso tipo de arma equipada, seja Greatsword, Long Bow, etc.... Estas habilidades passam por ser ataques, habilidades de fuga do combate, de regeneração, etc..., por exemplo temos o Escape Runner, que nos dá Stamina ilimitada enquanto fugimos ou nos atiramos no ar a correr, ou o Hunter Oasis, que passa pelo nosso Hunter, colocar um dispositivo no chão, que larga uma névoa que nos regenera o HP enquanto estivermos no seu alcance, temos por exemplo também o Ground Slash (que tem até 2 níveis de melhoramento), este é específico para a Greatsword, é basicamente um ataque de carga que larga uma onda de choque e proporciona um manuseamento da nossa arma, que libertam danos massivos no monstro em qual a usamos.
Quanto aos Styles, já abordei um pouco de nada, mas basicamente temos 4 estilos, o Guild, que é um estilo versátil e mais comum para os veteranos da franquia, que permite até 2 Arts, temos o Striker que permite 3 arts e é mais indicado para os principiantes na série, e acaba por permitir o uso das Arts mais rapidamente nas caçadas, já o Aerial permite 1 Art, e acaba por ser o mais indicada para montar monstros, permitindo uma variedade de acrobacias aéreas, já o Adept, é um estilo virado para os que gostam se suspence, em que a ordem do dia é evadir os ataques dos monstros ao último segundo, permitindo então a realização de alguns contra-ataques rápidos e danos consideráveis.
Quanto ao resto não há muito mais que vá dizer, sendo que penso que abordei o essencial de novidades no artigo que referi no início, e que achei por bem escrever, devido a não ter uma ideia de quando iria lançar esta análise, ainda deixo esta nota de que me supreendi com o jogo, e vejo-me a sempre que posso meter-lhe as mãos em cima, é excelente para os fãs de Monster Hunter, e as suas inovações (mais especificamente o Prowler Mode), continuam a dar nova vida a um jogo que mantendo a mesma base, consegue sempre manter os jogadores agarrados ao mesmo, e introduzir sempre novos montros para caçadas ainda mais emocionantes.

0 comentários:

Enviar um comentário

Recebe a Nossa Newsletter

FantasPT. Com tecnologia do Blogger.
UA-43693560-1