Análise PS Vita - Sir Eastalot

Sir Eatsalot um exclusivo recente para a PS Vita, num formato de 2D Scroller vamos andar pelo reino de Gluttington na pele do bravo cavaleiro do rei, Sir Eatsalot, este é também o primeiro jogo do estúdio por detrás dele o Behind the Stone, e sai-se como uma jornada bastante animada.


A nossa jornada centra-se em salvar o reino de limonada amarga que está a deixar a população doente, surpresa surpresa isto é obra da maléfica bruxa Hysterica, que pretende ao ter contaminado a fonte de água usada pelos habitantes vir a ganhar poder político, e ser eleita rainha do reino ao ser a única capaz de resolver este problema. Esta premissa desenvolve-se de uma maneira engraçada, e com uma boa dose de NPC’s pelo caminho com quem podemos interagir e receber demandas que vão servir para nos ajudar até a avançar em frente. Uma particularidade deste reino é que quase tudo é feito de doces, plantas que dão doces, montanhas cobertas de chantilly, entre outras coisas, uma coisa engraçada que este jogo faz, é fazer uso do touchscreen e do touchpad, sendo que o segundo servirá para tirar bloqueios do nosso caminho como pedregulhos e afins, e o touchscreen vai servir para colhermos a comida que cresce das plantas para recuperar Stamina ou Vida, é uma boa implementação da equipa nesta aventura, ainda mais temos um sistema engraçado de autocolantes no nosso diário de aventura, que funciona por carregarmos num animal que vemos no ecrã por exemplo, e de seguida a fazer um mini-jogo de fazer o rebordo da forma que nos é mostrada pelo uso do touchscreen e presto, ganhamos um autocolante do ser em questão.


Falando mais do mundo do jogo, temos ambientes variados e engraçados, passamos por locais fenomenais até de se observar, seja o que nos salta à vista em primeiro plano onde se mexe o nosso personagem, seja no que esteja de fundo a fazer o horizonte e background dos cenários, existem locais mais únicos que outros, como seria de esperar, em especial os que têm personagens mais importantes no desenrolar da nossa plot, o único senão com o mundo do jogo acaba a ser a meu ver algumas secções nomeadamente nas minas de chocolate do jogo em que iniciamos um percurso um bocado longo de andar para a frente e para trás a fazer tarefas para outros personagens, que nos vão levar por inúmeras cavernas e percursos deste ambiente que acabam a remover a fluidez base que o desenrolar desta aventura até estava a ter, o que acaba a ser uma pena pois nesta secção de minas acabamos a fazer uso de uma mecânica muito engraçada, que temos uma lâmpada em forma de cenoura (que são elas que providenciam luz aqui), e esta lâmpada é recarregada pelo uso da iluminação captada pela cãmera da PS Vita em certos locais, e serve para nos ajudar a movimentar sem cair em buracos e afins em secções de baixa iluminação das minas ou que não têm nenhuma mesmo


Em termos de jogabilidade temo alguns elementos como os que falei, vamos ter ainda algumas mecânicas engraçadas ao longo do jogo como combate de cavaleiros, mas a ação mais regular será algo entre usar a nossa espada para despachar alguns inimigos e eventualmente dar uso ao nosso escudo, embora ao inicio tenhamos inimigos fáceis de lidar mais tarde será algo necessário de usar para nos defendermos, de resto temos de fazer bom uso da nossa Stamina para correr, e ao mesmo tempo saber cronometrar os nossos saltos, embora ai inicio tenhamos saltos de pouca distância, mais tarde é realmente uma necessidade saber usar corrida antes de efetuar um, de maneira, está claro, a conseguir saltar distâncias mais longas e evitar uma queda para a morte, não é nada de mais para aprender e está bem alinhado o uso destes fatores com o desenrolar da história e avançar da jornada em si. Visualmente este é dos jogos mais deslumbrantes que vão ver, tem toda a magia visual que só estou por norma habituado a encontrar em jogos de Point n’ Click como Deponia, mas aqui Sir Eatsalot destaca-se bem, e quase dá essa sensação de ser um PnC mais interativo, mas não é um side scroller 2D.


Concluindo tudo isto, também no departamento de som temos faixas alegres e bem conseguidas, que ajudam ao ambiente animado que o jogo nos consegue passar com toda a sua aventura que tem bases de humor bem conseguido. Tirando aquela questão falada o jogo em geral é espetacular, e consegue numa escala de 1 a 10 tirar a nota de 7, poderia ser um 8, porque é um jogo muito agradável de se jogar, mas aquela questão de perda de fluidez em certas secções, e talvez até algumas quebras na jogabilidade pois penso que nas animações de combate de nós a darmos um swing da nossa espada poderia ser algo mais fluído, acabam a trazer o jogo um pouco para baixo.


Comentários