Análise PS4 - Dead Alliance

(Republicação de Análise)

Dead Alliance, um jogo de multijogador competitivo online que tinha promessa, já chegou, e em particular aqui abordamos a versão de PS4, mas dando já a abertura do que esperar, é mau e desilude quem esperava mais dele.

O jogo tem um conceito interessante, a possibilidade de transformar os zombies do cenário em armas ao nosso comando, com base num MP competitivo de equipa, com setting num mundo pós-apocalíptico. Até aqui parece tudo muito interessante, a beta do mesmo também foi engraçada, com a opção hideout que iremos abordar depois fechada, um tutorial rápido e que abordava de maneira solta e em geral o jogo, ficava no ar a ideia de que se podia esperar mais e melhor na experiência final que já em termos de valor entra na liga dos meninos grandes, mas a realidade é que se sai como algo que ficou na beta ainda. Quando abrimos o jogo lá volta a opção para ver o vídeo tutorial da beta, verdade seja dita, mesmo que fossem coisas de 40 segundos, esperava um menu focado em tutoriais a abordar as mecânicas do jogo, os gadgets, modos, classes e mesmo o funcionamento do hideout, e aqui fica uma grande falha a abordar, a falta de foco no mesmo. O hideout funciona em duas bases, o de personalização, em que podemos criar custom classes com base em 3 disponíveis, light, medium e heavy, sendo que muda a sua velocidade/agilidade bem como armamento disponível, armamento esse que pode ser personalizado com mods, como as miras, ou o recoil, ou que podemos adquirir novas armas (apesar de não haver uma grande variedade de seleção em termos da arma principal), podemos ainda fazer mais algumas coisas como mudar o gadget que levamos connosco, e para o caso de novas armas e mods temos claro de os adquirir com dinheiro ganho no jogo. Depois temos o lado de hideout skills que serão pelo que entendi todas passivas, não precisam de ser ativadas, e dão bónus como mais danos, mais proteção, etc…, que contam com umas quantas divididas por filas de 3, que desbloqueamos cada fila ao atingir um certo nível de ranking, a primeira fica disponível ao nível 10, cada skill pode ser melhorar um X número de vezes, sendo que a primeira fila apresenta skills com 3 níveis, e a partir do nível 10 vamos desbloqueando também skill points para gastar, sendo que cada nível de skill custa 1 ponto. O pecado nesta mecânica de hideout vem na sua falta foco, e não havendo tutorial específico, só ajuda a quebrar a sua importância, os jogadores sem dúvida que vão logo saltar em grande parte para o quick match, usar uma das classes pré-definidas para o efeito e está a andar, sem falar que as primeiras cópias trazem o pack Rapid Dominance, com 3 classes personalizadas com armamento único para dar aquele avanço em termos de jogabilidade.


Quem comprar só a experiência MP também não perde muito, o SP do jogo passa por um modo de bots que rapidamente cansa, e um modo survival que apesar de engraçado é bastante linear e não apresenta nenhum nível de conteúdo por ai além, mais parecia que quiserem misturar algum toque de Left 4 Dead com hordas de zombies a caírem-nos em cima. Abordando o MP temos duas opções, Quick Match e o Private Match, ficou a faltar o Public. A falta de oportunidade de criar um Public Match como host e escolher mapa e modo, ainda mais quando no Quick há um jogador que é associado como host e se calha a sair do jogo, a sessão vai abaixo, não havendo rotação automática de host, estragam a fluidez do jogo e adicionam frustração desta maneira, a ideia de perder xp e dinheiro só porque sai o host é muito mau, mas as más mecânicas de jogabilidade não ficam por aqui, não bastasse isto as vagas de jogadores em cada equipa são preenchidas por bots caso não haja ninguém para tal, tanto no quick como no private sendo que no segundo podem escolher a sua dificuldade. A AI dos mesmos é bastante fraca, chegando ao ponto de podermos estar virados para um de frente com ele a caminhar na nossa direção sem disparar nem uma bala, mais engraçado é não haver distinção entre o private e quick para ganhar xp e dinheiro, ou seja este jogo é em si na sua base um mimo para rapid boost de nível, e dinheiro, e por acréscimo desenvolvimento de custom classes e das habilidades, depois com a AI básica e burra, podemos acabar a jogar matches públicos em que somos o único humano, ainda mais no private que não requer mais nenhum jogador humano. Não fosse isto o pior do jogo, as animações de zombies a morrer quando os matamos com melee ou não, é semelhante mesmo a bonecas de trapos a cair no chão isto é quando não ficam congelados no ar.  O facto do jogo ter os modos conhecidos como Conquest, King of the Hill, Capture the Flag, ou um Free for All Deatmatch, e mesmo um mais próprio, conhecido como Attrition, em que é num mapa que se divide em duas faixas mais lineares com pontos de controlo, sendo o objetivo criar dois funis para os jogadores, zombies e conquistar o ponto de controlo da base da outra equipa, até o podia salvar mas com falhas graves como as mencionadas, leva tudo a descambar.


Indo à jogabilidade de combate, nada de mais, temos uma movimentação associada ao tipo de classe como disse e de resto é o básico de um fps, granada, arma principal e secundária, e no caso de um mp destes 3 skills ativas, de por exemplo chamar zombie scouts para mapear posições inimigas no mapa, ou chamar um drop de zombies aliados, e é a falar disto que a jogabilidade fica interessante. Para além daqueles gadgets como spawn point para quando morremos (útil para deixar ao pé da base de flag do inimigo num capture the flag), é nos gadgets mais específicos às mecânicas de zombies que o jogo ganha interesse, temos uns quantos que vão desde dispositivos para atrair zombies, a granadas de controlo e incitação a entrarem num frenesim contra a equipa adversária, e não só, isto dá ao jogo no seu nome, Dead Alliance, significado, que para além no seu conceito querer incentivar aos jogadores a moverem-se em equipa, ainda acrescenta este elemento dos zombies que podemos transformar em armas ao nosso comando, mas enquanto o fazemos, convém ter sempre atenção, quando menos esperamos já se concentrou um grande número de zombies à nossa volta e ainda aparecem alguns da equipa adversária e ai pode ser ou será o nosso fim, ainda mais se tivermos com bots na equipa ou jogadores armados em heróis. Estes gadgets e granadas de efeitos quando combinados de maneira estratégica podem ser fenomenais, pena se tivermos num jogo de bots, ou que a nossa equipa é bots, ou a adversária, basicamente isto torna-se inútil e esforço a mais para nada.


Em resumo o jogo não vale nem de longe o seu full price, talvez 10€ já seja justo e mesmo assim quem sabe, visualmente nas animações de morte de zombies e mesmo na estabilidade de texturas de ambiente em certos mapas ele falha (imaginem texturas de um pedaço de modelo a ficaram brancas por 3/4 segundos quando se movem…..agora imaginem 3/4 pontos de modelos do cenário de maneira seguida a fazer isto), juntem a falta de tutoriais focados, falta de aproveitamento do hideout, e o preenchimento do online com bots em que ainda por cima têm uma AI demasiado pobre e básica, em que era até preferível estar num match contra um só jogador, quer dizer, tudo o que possa haver de bom vem por água abaixo, e a sensação de que o jogo anda vazio (e muito), fica no ar, um jogo que deveria ter mais para se falar bem do que mal, até pelo seu conceito de uso de zombies a nosso favor, e espalha-se com erros de amador.

Comentários