Análise Nintendo Switch - World Neverland: Elnea Kingdom

Hoje em dia começam a sair uns quantos jogos de mobile em consolas, e é interessante até, um deles foi World Neverland: Elnea Kingdom, um jogo originalmente de iOS que saiu há uns meses na Switch, e que é um simulador de vivência num reino medieval de fantasia.


À partida o jogo pode parecer algo apelativo, diga-se de passagem para um jogo de mobile está relativamente recheado de conteúdo, a questão aqui vem por outro lado, apesar de qualquer sistema de conteúdo de micro-transações ter sido removido, não se pode deixar de sentir, que qualquer efeito de grind que o jogo tivesse para desgastar o jogador em parte e o levar a adquirir algo para dar um fast foward no jogo, ficou intacto, uma dessas formulas acaba a ser numa das mecânicas mais simples do jogo, o fast travel, quando pensamos em fast travel pensamos numa coisa, um conjunto de sitio para o qual podemos escolher viajar instantaneamente através do mapa do jogo, ou de um npc que faz serviço de viagens, ou ambos, e é algo que ocorre instantaneamente, aqui no jogo as coisas funcionam de outra maneira, vemos o nosso personagem a correr para o local que escolhemos de uma lista disponível de pontos dos mesmos, vemos ele simplesmente a ser controlado pelo jogo a mover-se.


Em termos de história, bem, é um life sim, não há muito para dizer, aparte que o jogo implementa várias quests e empurra o jogador para as mesmas, e vão girar todas muito em volta de ir pescar, fazer recados, explorar dungeons, etc.., simular a vida de um trabalhador deste reino, também têm um sistema de amizades e mesmo de relacionamento amoroso, bem vamos pôr as coisas assim, o jogo tem muita coisa para fazer, temos um sistema de população no reino algo interessante, vamos passar por áreas capazes de encher de NPC’s, apesar de muitos se parecerem iguais, e de por vezes ser complicado conseguir escolher um para interagir, não deixa de ser notável a atividade que o mesmo nos apresenta, simplesmente as quests não assim nada de memorável, e mesmo o conteúdo do jogo pode recair sobre monotonia, ainda mais o sistema de combate não é nada do outro mundo, é algo por turnos, em que podemos mesmo acelerar a ação, felizmente até, em que escolhemos dentro dos pontos de ação que temos, certas habilidades para usar e pronto, deixamos o jogo atuar.


Visualmente tem um aspeto datado mesmo para um jogo de mobile, talvez até esta abordagem tenha sido feito para o jogo pressionar menos o sistema original para o qual foi pensado, telemóveis, mas mesmo assim vão sentir este aspeto, vai ser uma viagem ao passado do 3D quase, em termos de design e disposição de edifícios, objetos e afins, das e nas várias áreas do jogo, vão haver umas melhores que outras, só tenho pena que o sistema de dungeons não seja realmente algo que exploramos, mas sim um caminho automático seguido pelo personagem que pára quando encontra algum monstro para combater.


Penso que concluindo sobre World Neverland: Elnea Kingdom, poderei dizer que não é algo fresco, ou algo inovador, sente-se um pouco o grind aplicado a mobile que seria direcionado a micro-transações de progressão em ação, não é um jogo feito para longas sessões, mas para pequenas, tal como seria jogado em mobile, em si pode ser algo até interessante, mas se inova-se qualquer coisa, ou se tivessem talvez reformulado um pouco o jogo para a Switch teria sido melhor.

Comentários