Análise PS4 - Milanoir

Milanoir, um jogo da Italo Games que nos pretende levar para o meio do ambiente de filmes policiais e em volta de mafiosos italianos dos anos 70, levar-nos para um ambiente violento, negro e no meio de Milão.


O jogo mete-nos no papel de Piero, um mafioso da família Lanzetta que ganha a sua vida a fazer assassinatos e trabalhos de musculo que no meio do seu percurso acaba a ser preso após alguém fazer uma denúncia anónima sobre ter sido ele que matou a família Beretta a sangue frio. Após uns anos dentro Pierro consegue finalmente sair, voltar ao seu velho trabalho na família e começa então uma caça a quem o atraiçoou. Dar mais da plot não seria justo pois devem descobrir a mesma por vocês, ela consegue ser bastante engraçada e cumpre o seu trabalho de nos manter entretidos entre a ação do jogo, dá-nos aquele ambiente sombrio que seria de esperar recheado de violência mafiosa e portanto se o problema não é a plot que nos é entregue então só sobram praticamente 2/3 elementos.


Visualmente o jogo apresenta-se numa arte com bases em pixelização mas não totalmente, todo o jogo é em 2D com uma perspetiva de top down view que cumpre bastante bem o seu trabalho no jogo. Este é dos jogos 2D mais apelativos à vista que joguei até hoje, nota-se o detalhe nos ambientes, nos efeitos dos objetos, veículos, bem, nota-se detalhe e atenção em tudo, é um jogo que é um deleite aos olhos, até os efeitos de buracos a abrir na madeira de um elétrico que usamos como cobertura pelo interior do mesmo estão bem conseguidos, sem falar que em termos de design dos níveis acabam todos a estar bem conseguidos em termos de secções e posicionamento de inimigos. A ost do jogo consegue ajudar a manter a atmosfera de ação esperada, sentimos mesmo que podemos estar num filme interativo e portanto se nenhum destes elementos é o problema do jogo só sobra uma coisa.


A jogabilidade é simples, podemos movermo-nos com o analógico esquerdo a pé ou mover um dos veículos que vamos acabar a conduzir, recarregamos a nossa arma com o R1, movemos a mira com o analógico direito e de notar que a mesma tem um indicador de munição que vai ajudar bastante a controlar o quando precisam de recarregar a vossa arma, disparamos com o R2 e no caso de estarmos a pé podemos agacharmo-nos sob cobertura, ou rolar, e mesmo saltar sob obstáculos com o L2. Tudo isto em PC deve funcionar lindamente mas não é o caso aqui, talvez há uns anos na PS2 eu compreende-se o problema que se apresenta neste jogo mas atualmente e com a suavidade que os analógicos dos comandos conseguem ter não posso desculpar nada disto, sim, o problema é na jogabilidade e como devem perceber pela minha conversa ou é na movimentação do personagem ou no sistema de mira, e visto isto ser um shooter bem já devem ter adivinhado, é a mira. Este aqui é dos jogos com uma das piores miras que eu já usei em consola, é bastante imprecisa e desastrada e depois de jogar coisas como Hotline Miami até na PS Vita, ou Alienation na PS4 não posso desculpar nada disto, mover a mesma com o analógico direito é quase uma tarefa árdua em conseguir precisão, há jogos como o Hotline Miami que conseguem atenuar isto ao ter um sistema de lock on por toque do jogador, e bem, Milanoir também tem mas não por toque, temos sim nas opções o sistema de mira assistida que é automático e tem umas quantas definições de atividade que vai de desligada a alta e simplesmente faz pontaria automática sob inimigos com o passar da mira perto deles.


Isto é tudo muito lindo mas se a mira se prender a um inimigo que está a vir na nossa direção com uma faca enquanto outro dispara sobre nós, digamos que a mesma se torna inútil, e há mais, quando a tentamos remover de cima do alvo demora um pouco e é bastante desastrada e por vezes lenta a mover-se, agora imaginem isto com 4 personagem no ecrã e 3 deles estão com armas de fogo. Podemos aumentar ou diminuir a velocidade a que a mira se move nas opções mas nada ajuda, a falta de precisão a mover a mesma e mesmo o efeito desastrado que a mesma faz como se tivesse ao inicio a arrastar-se e por fim vai quase a toda a velocidade é algo não só frustrante mas bastante negativo para o jogo, estou confiante que em PC com um rato isto talvez não ocorra, mas infelizmente em consola a conversa é outra e o problema não é quando avançamos por secções com 3/4 inimigos que podemos estrategicamente chamar a atenção de 1/2 para os ir eliminando, ou secções em que todos estão atrás de nós mas temos coberturas, não, o problema é quando aparecem 3, 4, 5, 6 e estamos em campo aberto ou num cenário fechado como carruagens do metro sem possibilidade de ter cobertura, é nestes momentos que se vê o quanto é frustrante a jogabilidade de Milanoir em termos da mira, e é uma pena pois o jogo brilha em tudo o resto menos neste aspeto.


Concluindo só digo que recomendo o jogo numa boa promoção pois nada mais vai justificar a frustração que vos espera, nem mesmo o facto de tudo o resto estar bem conseguido, ainda mais quando não é preciso muito para morrerem pois 4/5 tiros por vezes é o suficiente para vos enviar para a quinta das tabuletas. As batalhas de boss são boas, as sequências de veículos também, a história está no ponto, visualmente e em termos de OST é dos jogos mais apelativos que joguei, mas chegamos à jogabilidade e é ai que o castelo de cartas vai abaixo e é uma pena, uma grande pena mesmo acreditem, mas num shooter o sistema de mira estar mal conseguido é a morte do artista ou neste caso o fator que leva o jogo abaixo.

Comentários