Análises PS4 - Omega Strike

A Woblyware traz-nos desta vez um metroidvania com lembranças de Metal Slug, apesar de serem duas coisas diferentes visto MS ser um Run ‘n Gun, em momentos vemos em Omega Strike vislumbres de Metal Slug em certos elementos.


O jogo apresenta-nos logo ao inicio a sua simples plot em que o Dr.Omega desenvolveu um super soro capaz de transformar soldados regulares em super soldados, que ficavam mais fortes, rápidos, ágeis, a história do costume, mas a questão aqui é que passado uns tempos estes começavam a sofrer mutações e ficavam sob o controlo de Omega, sendo que tratava-se tudo de um plano para o maléfico doutor conseguir conquistar o mundo com um exército de super soldados mutantes sob o seu comando. Nós entramos em cena como parte da resistência encarregue de derrotar este exército maléfico do Omega, derrotar o próprio e salvar o mundo no controlo de 3 personagens que são Sarge, Bear e Dex.


Neste jogo podem controlar portanto 3 personagens cada um com as suas próprias habilidades, pelo que o Sarge será provavelmente o que vão usar mais podendo adquirir novas habilidades com o decorrer do jogo para se agarrar a tubos que estão suspensos no ar ligados nas suas extremidades aos tetos dos cenários, ou por exemplo ter um tiro especial capaz de partir certos blocos que estão a bloquear o vosso caminho, já o Bear é mais a força bruta com uma arma que dispara projeteis tipo bomba quase, e visto que o próprio é capaz de usar a sua força para mover blocos de grande proporção para fora do vosso caminho, mas temos ainda Dex, e para dizer a verdade foi o que usei mais e isto porque ele consegue dar double jumps e é o mais rápido/ágil, a sua caçadeira também pode fazer bons danos embora prefira usar o Sarge com a sua espingarda de assalto. A troca entre personagens é justificada pelo uso de um comando de teletransporte que ativam com o Triângulo, isto ajuda a dar alguma variedade ao jogo por momentos mas não será nada do outro mundo, já a aquisição de novas habilidades como em qualquer metroidvania que se prese é feita quando derrotam certos bosses.


Vão sentir muito o efeito de Run ‘n Gun aliado com vários momentos de plataformas e a passar uma boa quota parte de tempo a correr de um lado para o outro a disparar contra os variados inimigos que vão aparecendo no vosso caminho, a saltar e deitarem-se no chão para se esquivarem de ataques e afins. Também vão ter a vossa cota parte de mapas a explorar e o ter de avançar e regressar em outras alturas em busca das áreas secretas para descobrirem as caveiras de ouro que vos dá mais moedas do que o habitual que cai de inimigos ou caixotes que partem, e que servem para comprar upgrades para o vosso armamento na vila que têm no jogo, mas há também cubos de vida que podem ser usados na vila para obter upgrades de vida, o único problema acaba quase a ser lembrarem-se dos locais destes por vezes porque uma boa parte do tempo não vão ter a habilidade necessária para conseguirem ultrapassar um qualquer obstáculo, e infelizmente se não for o acesso a uma nova área bloqueado não vão conseguir identificar no mapa onde têm de voltar pois só a saída da zona e áreas de save é que estão identificadas nele. A variedade de inimigos é soberba e são introduzidos a um bom ritmo e variam também de forma correta pelos ambientes que vos são apresentados, também os bosses espalhados pelo jogo são variados e algo únicos, nem sempre complicados de derrotar pois muitos têm padrões simples e algo básicos mas todos eles juntos dão um charme único ao jogo.


Visualmente é dos jogos em estilo pixel 2D mais bem conseguidos que vi, dá-nos qualidade e variedade no seu design, o level design também está bem conseguido para prevenir qualquer monotonia ou sentimento de repetição de obstáculos e plataformas e que é algo bastante importante aqui, também a ost consegue ser engraçada e não deixar o sentimento de ser algo repetitiva nos nossos ouvidos.

Concluindo temos aqui um jogo soberbo embora seja algo curto ficando um pouco mais longo com a exploração, consegue entreter e divertir durante toda a sua jornada e recomendo bastante a quem goste ou não do género, é simples na sua fórmula por isso não é preciso serem fãs hardcore de metroidvanias para conseguirem entrar neste jogo e tirar bom proveito e diversão.

Comentários